Finalização Colheita de Algodão no Piauí, Safra 2018/2019

A colheita de algodão no Estado do Piauí referente a safra 2018/2019 estar chegando ao fim, dos 16569 há plantados, praticamente 99% estão colhidos e, apresenta alguns pontos a serem discutidos. Além das dificuldades de implantação da cultura, principalmente por conta de veranicos, neste ano de 2019 a lagarta do cartucho (spodoptera frugiperda), chamou atenção pelo tamanho dos danos causados versus dificuldade de controle, pois apesar de haver nos vários momentos o controle da praga, porém os danos foram muito grandes causando também problemas de abortamentos e apodrecimento. O aumento do custo de produção chama a atenção inclusive nas demais regiões produtoras do País, custos que no Piauí variam entre 180 e 250 arrobas por hectare, incluídos os custos de arrendamento e depreciação de máquinas.

O aumento nos preços dos fertilizantes, preço da semente de algodão e defensivos agrícolas aliado ao seu maior uso no controle de pragas e doenças (spodoptera e ramulária) foram os principais responsáveis pelo aumento dos custos de produção no Estado. Os preços da pluma no mercado externo tiveram muitas variações nos últimos 12 meses, em 24/09/2018 a pluma estava valendo 320,36 Centavos R$/LP e apenas 243,48 Centavos R$/LP no último dia 20/09/2019 (CEPEA)*. Os custos de produção altos com preços da pluma baixos é uma mistura salgada levando e/ou forçando os produtores a diminuírem seus custos que já estão muito enxutos, mas é uma boa hora para serem ainda mais eficientes do que já são, assunto muito abordado no 12º Congresso Brasileiro do Algodão realizado entre os dias 27 e 29 de Agosto em Goiânia – Goiás.

Produtividade

Nessa safra a perspectiva de produtividade deverá ter maior média na região/núcleo de Corrente/Coaceral com mais de 305 @ por hectare, já a média do Estado deverá ficar em torno de 260 @ por hectare. De acordo alguns levantamentos realizados pela Apipa, as perdas de produção nesta safra por conta do apodrecimento, efeito do excesso de chuvas, poderá chegar a mais de 30 arrobas por hectare, variando entre as regiões. Há também perdas por dano de Lagarta spodoptera e apodrecimento em consequência de maior incidência da mancha de Ramulária, que embora possa ser comum, porém acima da média. Em algumas regiões do Estado será necessário melhorar o perfil dos solos para melhorar a produtividade das lavouras de algodão.

Bicudo-do-algodoeiro

A presença de Bicudo teve início no mês de Abril na região/núcleo de Santa Filomena e em seguida nos demais núcleos, porém, com presença nas cabeceiras, sendo controlados por aplicações principalmente em bordaduras. Em algumas propriedades as aplicações para Bicudo foram em área total, as quais houve melhor controle e menor índice de infestação no final. O Núcleo de maior preocupação é Santa Filomena, por haver maior número de propriedades com algodão e histórico de Bicudo.

Pontos a serem observados na próxima safra

Na próxima safra, as áreas de plantio, apesar dos preços da pluma no mercado externo atualmente estarem relativamente baixos e custos de produção alto, de acordo com as perspectivas levantadas inicialmente, as áreas devem chegar a 21904 hectares. Quanto aos aspectos dentro da fazenda, entre vários pontos, os cuidados com a mancha de Ramulária, Spodoptera, Bicudo X vazio sanitário, Produtividade X Solo e época de plantio deverá se intensificar em safras futuras. Para as áreas de algodão no Estado terem aumento significativo será necessário vários investimentos em estrutura, principalmente usinas algodoeira, máquinas colhedoras, energia, logística e mão-de-obra qualificada.

FONTE: Equipe fitossanitária Apipa

Fechar Menu