A autonomia dos trabalhadores fortalece a cotonicultura

Além de um melhor resultado da pluma do algodão, a Apipa tem observado o desenvolvimento das pessoas como profissionais, trazendo benefícios a todos

FONTE: IBA

É frequente falarmos aqui no site sobre as iniciativas das nossas associadas voltadas para a qualificação profissional dos trabalhadores e o quanto isso beneficia toda a cadeia produtiva do algodão. Agora, queremos mostrar outras vantagens da capacitação adequada, especialmente no que se refere à maior autonomia dos cotonicultores. O projeto da Associação Piauiense dos Produtores de Algodão (Apipa) é um ótimo exemplo disso.

primeira fase do Programa de Qualificação Profissional da Cotonicultura do Estado do Piauí, que aconteceu de 2016 a 2018, foi um sucesso. Para dar continuidade à ação, foi iniciada a fase 2 em julho de 2019, cuja execução está prevista até junho de 2021.

Lucilene Sousa, coordenadora de projetos da Apipa, fala sobre os resultados colhidos com a capacitação dos operadores de máquinas: “É importante desenvolver no profissional o dom de manusear as máquinas e o sentimento de pertencimento.” Lucilene conta que, em uma reunião de resultados com a equipe, surgiu a ideia de se criar uma espécie de diário de bordo dos equipamentos. O objetivo é fazer um checklist completo com todas as intercorrências verificadas no maquinário ao longo do mês. Esse material é revisado diariamente; assim, os trabalhadores conseguem identificar mais facilmente os problemas e, melhor ainda, cuidar da manutenção preventiva. “Esse programa visa que o operador tenha senso de propriedade. A partir do momento em que ele começa o expediente, aquele equipamento está sob sua responsabilidade. Ele sabe que se houver algum problema por falta de cuidado, a produção dele será prejudicada”, explica Lucilene. “Além disso, a associação já implementou os indicadores de resultados, com acompanhamento efetivo dos cotonicultores. Eles querem desenvolver um bom trabalho e, para isso, se dedicam para alcançar as metas semanais. Inclusive, os próprios cotonicultores já conseguem identificar o aumento na qualidade de produção, e estão muito satisfeitos”.

Ainda a respeito do curso voltado aos operadores de máquinas, além do maior envolvimento dos trabalhadores, a Apipa também observou resultados concretos, como reduções de quebras, acidentes e desperdícios, e aumento da vida útil do equipamento, beneficiando a associação e o produtor.

Outra ação importante do projeto da Apipa é a implementação do Programa 5S, que foca nos sensos de utilização, organização, limpeza, autodisciplina e saúde e higiene. “Como já estávamos bem alinhados com a capacitação de equipe, demos um novo passo para integrar melhor os colaboradores com a cultura da empresa”, explica Lucilene. Em outubro de 2019, a associação buscou parceria com o Senai do Maranhão e o programa foi implementado em oito etapas, contando até mesmo com um comitê do 5S para melhor organização, além de uma logomarca que expressa a importância dessa iniciativa para a associação.

Devido à pandemia, algumas ações do Programa de Qualificação estão suspensas. O foco agora é a análise de resultados e outras ações menores que não implicam em aglomeração de pessoas.

O interesse da associação no desenvolvimento pessoal também resultou no 1º Encontro de Gestão da Apipa, que aconteceu em outubro de 2019. O evento foi um grande sucesso, reunindo profissionais ligados ao agronegócio para capacitar e aperfeiçoar as habilidades de associados, produtores e da comunidade local. A expectativa é que a segunda edição aconteça em outubro próximo, mas tudo irá depender da evolução da pandemia nos próximos meses. “Temos muito orgulho de realizar esse encontro, pois estamos numa cidade distante, onde as pessoas não têm a cultura de fazer cursos. Mas, com o apoio do IBA, vamos sempre desenvolver mais”, conta Lucilene.

Para saber mais sobre os projetos do IBA de capacitação profissional, acesse aqui.

Fechar Menu